20 junho 2017

mundotrágico

motosserras
motocerros
motossangas
matamorros
matassorros
matadouros

maremotos
maresmortos
maresmudos
mardemonstros
mardemedos
mardemerdas

amazônico
malozônico
magrocórrego
holocáustico
agrotóxico
agrotúmulo

mundocômico

18 junho 2017

(Só) Trabalhe!

quando eles dizem: "Trabalhe!"
eles querem dizer: "SÓ trabalhe!"
é a melhor forma de dominação:
quem só trabalha
não tem tempo para ler
não tem tempo para ouvir
não tem tempo para ver
não tem tempo para pensar
não tem tempo para sentir
para se inquietar
para questionar
para contemplar
enfim, não tem tempo para a vida

quem não vive
não se importa com o que vive
não se importa com o que sofre
não se importa com o que morre

a era pós-humana
a era pós-tudo
quer só máquinas quer só robôs
porque eles SÓ trabalham

quando eles dizem: "Trabalhe!"
eles querem dizer "SÓ trabalhe!"

eles só não dizem só
porque não é só
isso


15 junho 2017

Duas Palavrinhas

I - do poema futuro:

em cadáverso
um cadáver
em cadáestrofe
uma catástrofe

II - do tempo:

o problema do tempo 
é que um dia ele chega
e quando chega
o tempo que passou 
não chegou:
o tempo é sempre 
insuficiente

13 junho 2017

Dos Homens sem Paz

I  - a próxima guerra
dos homens sem água
será pela mágoa
de uma terra 
acabada sem trégua
pelos homens sem garra e sem guelra
morridos à míngua

II – a espada
na terra cravada
será cruz

a cruz
no pulso empunhada
será espada

III – os homens só terão paz
quando a paz for daquelas
de cavar covas

11 junho 2017

Contradição

afirmam alguns
que a vida surgiu do nada
mas o que seria o nada?

de duas
uma:

I – a toda vida que há
surgiu do nada que não é?
mas como
se até na matemática
qualquer número
vezes zero
é sempre zero?

ou o nada
é só um nome que damos
às causas
que não alcançamos
em nossos limites?

II – ou então o nada
é o nada mesmo
e ponto.

nesse caso
a vida que vemos
também é um nada

se é um nada
não existe

ou existem nadas
que existem?

e quem vê o que não existe
se só acredita vendo
acredita no que não existe

como pode o que não existe
existir?

08 junho 2017

Soneto de um Último Século

vasta contemplação do fim do humano 
surgiu-me entre beijos de horror e caos
sangue felídeo daqui até o Laos
lábios de som em desastre oceano

teu rosto não-visto em réquiem brahmiano 

nunca acabou de acabar-me ao final 
teu olho ainda sinto entre um temporal 
e entre estes céus de vermelho romano 

agora é tarde o distante do cedo

ergueu-se o fim e sonhei-te perplexo
violino e piano entre pânico e medo 

mas em tuas mãos havia um reflexo 

em teu cabelo ocultava um segredo: 
o de que a morte é o mistério do sexo


06 junho 2017

Sobre a "Festa" no Instituto Evangélico : adiantei-me

O poeta, o escritor sem fama, que é o meu caso, é um cara chato. Como não tem mídia para o promover, tem que promover a si mesmo. Por isso que vou repostar um poema que publiquei aqui em 5 de abril, o qual expressa, em sua primeira parte, exatamente a situação ocorrida no Instituto Evangélico de Novo Hamburgo. Seu título é "dos Brasileiros e da Humanidade": 

I - o complexo de pequenez e de inferioridade do brasileiro 
é tão grande e tão superior 
que ele precisa escolher alguns como mais inferiores 
para humilhar oprimir eliminar e pôr a culpa 
e assim se sentir superior 

II - a humanidade se cansou 
(assim como quem já assistiu a tantos filmes de horror 
que já nada mais choca ou surpreende): 
coisa alguma faz efeito algum .
quando se chega a esse ponto 
é preciso mudar a fundo 
ou morrer e pronto

04 junho 2017

600 mil hectares A MENOS de reservas e milhões de hectares DESMATADOS perdoados

Com um Congresso formado principalmente por ruralistas, gigantes do agronegócio e por grandes empresários, e com um presidente que é apenas um fantoche na mão dos interesses econômicos, o que se pode esperar? Além, é claro do massacre dos direitos trabalhistas, devemos também esperar o massacre do nosso já massacrado meio ambiente. 

Agora, Temer e o Congresso querem reduzir 600 mil hectares (o equivalente a QUATRO cidades de São Paulo) a Floresta Nacional do Jamanxim, no já muito desmatado estado do Pará, ou seja, na Amazônia. E quer fazer coisa semelhante em várias outras reservas na Amazônia. Se com todas essas reservas, já há uma grande devastação em muitas áreas da Amazônia, inclusive o ritmo do desmatamento só aumentou desde o início do (des)governo Temer, imaginem como será com a redução dessas reservas?  Em poucos anos, teremos um ritmo alucinante de destruição na Amazônia como nunca antes visto. Quer saber mais sobre o assunto? Clique aqui.

Não bastasse isso, a turma do lucro a qualquer custo ainda anistiou, ou seja, perdoou crimes ambientais, com o seu nefasto Código (des)Florestal. Em 5 anos, foram perdoados 41 milhões de hectares desmatados em áreas que deveriam ser de CONSERVAÇÃO PERMANENTE. Ficou tudo por isso mesmo. Ou seja, natureza destruída e não restaurada. Mais sobre assunto aqui

Para onde vamos, caro leitor? Tu sabes, o abismo é logo ali.


02 junho 2017

O (Des)sentido da vida

passamos a vida fazendo coisas
que não gostaríamos de fazer
para fazer as coisas que gostaríamos
mas que não teremos tempo de fazer
por ter feito tanto o que não gostaríamos

passamos a vida deixando de ser o que em fundo somos
com o objetivo único de ao fim um dia poder ser:
mas tanto deixamos de ser para poder ser
(para apodrecer)
que quando podemos ser 
já não mais somos