08 dezembro 2009

Aquecimento Global, Caos Planetário e a Cegueira Humana


O recente escândalo do "Climategate", como vem sendo chamado, onde haveria fraude nas medições de temperatura para que fosse intensificado os dados do aquecimento global, está sendo usado, mais uma vez, para justificar a continuidade infrene da destruição ambiental, como se uma possível fraude encobrisse todos os fatos gritantes que estão diante de nossos olhos.


Já cansei de citar em meus textos uma frase de um filósofo: "O homem não aprende as lições da vida nem a canhonaços." Não aprende nem vai aprender, até que desabe o teto sobre a sua cabeça, ou seja, quando já for tarde demais. A humanidade tem uma fé tão fanática nesta ciência equivocada, que se ela afirmar algo hoje, tudo é exatamente como ela afirmou. E se amanhã ela se desdizer completamente, então tudo passa a ser do outro jeito. E jamais direcionam seus olhos do corpo, da mente e da alma ao seu redor. O que são os homens? Nada mais que marionetes, que se comportam conforme o movimento das cordas. Os fanáticos da ciência costumam criticar os fanáticos religiosos, mas o grau de fanatismo é o mesmo, apenas oscilando em polos opostos.


Na verdade, não importa se há ou não aquecimento global, o certo é que o planeta inteiro passa por um descontrole climático nunca antes visto pela civilização, e que está aqui, diante de nós, e nós fingimos que tudo é natural, e que o homem não tem culpa nenhuma nisso tudo. E sabem por quê? Por que esse descontrole, esse caos, é lento, é progressivo, é insidioso, como um câncer que se manifesta lentamente, os seus sintomas surgem de vez em quando, e depois passam, e depois voltam, o indivíduo nem dá atenção, até que quando percebe a gravidade da situação, o câncer já tomou conta do organismo, e então é tarde demais. A humanidade é como a velha história dos sapos sendo cozinhados na panela de água quente. Os sapos não percebem a água esquentando, porque ela sobe muito gradualmente, quase que imperceptivelmente, até que quando se dão conta (ou até que quando não se dão conta), estão cozidos, estão mortos.


O que quero dizer com isso? Não, isso não é uma analogia ao aquecimento global. Quero dizer que o homem vem enganando a si mesmo, dando desculpas, buscando evasivas, escapatórias, fugindo à sua responsabilidade quanto à vida do planeta. Parece que era isso que todos estavam esperando, o "climategate", uma fraude ainda não comprovada em relação ao aquecimento global, para que todos pudessem "respirar aliviado" e se sentir livres para poluir, explorar e aniquilar o planeta como sempre vêm fazendo, afinal, "a ciência mentiu".


Agora, porque um cientista mentiu, tudo o mais é mentira. Não confiam nos olhos de vocês? Eu confio nos meus. Não preciso que um cientista venha me dizer "verdades" que eu mesmo estou constatando. Não percebem alguns seres humanos o que salta aos olhos: o desequilíbrio do clima planetário, cada vez mais retumbante.


Eu aprendi, por exemplo, quando estudante do então 1º grau, que o clima do RS era um dos mais constantes do Brasil, com raros períodos de grandes cheias ou grandes secas, que havia aqui uma das melhores distribuição de chuvas do país. Eu aprendi isso. E meus pais e meus avós confirmam que as secas e as enchentes extremas aconteciam, mas era de vez em quando. Pois agora, não tem um ano que nós não tenhamos ou uma seca ou uma enchente de proporções catastróficas. Isso é mentira? Eu aprendi que na Amazônia nunca havia seca. Pois em 2005 houve a maior seca da história da Amazônia, que chegou a matar uma pequena parcela da floresta. E agora, em 2009, outra seca assolou a região. Isso é mentira? É mentira que as tempestades, tornados, ciclones no RS estão cada vez mais intensos? É mentira que nossos rios estão morrendo? Havia, por exemplo, sangas em que meu avô tomava banho quando criança e agora não existem mais. É mentira do meu avô? É mentira o registro do primeiro furacão da história do Brasil, que devastou RS e SC? É mentira a desertificação no interior gaúcho, onde o pampa está virando dunas? É mentira que tivemos a maior epidemia de febre amarela no interior gaúcho da história, que exterminou com os nossos pobres bugios? É mentira que o mosquito transmissor da doença se reproduz com o aumento do calor? É mentira que o RS passou de área livre para área sujeita a epidemias de dengue? E é mentira que o mosquito da dengue não se prolifera com o calor?


Eu nem vou falar no resto do mundo, vou só ficar no RS, porque o que divulgam as revistas e os jornais mundo afora deve ser tudo mentira. Deve ser mentira que os desertos avançam implacáveis na África e na Ásia. Deve ser mentira os pinguins que são encontrados em locais cada vez mais distantes para fugir do aquecimento na Antártida . Deve ser mentira a redução drástica da população de ursos polares pelo derretimento progressivo do polo norte. Quem sabe alguém vá até lá e grite nos ouvidos do urso da foto: "para com isso, não fica fazendo poses dramáticas, que eu sei que tu estás te fazendo para aparecer na foto!" Deve ser mentira a extinção maciça de sapos e rãs em vários países devido ao buraco na camada de ozônio. Deve ser mentira a redução em quase 1 terço de toda a vida nos mares. Deve ser mentira a proliferação de algas tóxicas devido ao calor excessivo nos oceanos. Deve ser mentira que cientistas russos vão evacuar um centro de pesquisas que explorava um campo de gelo que vai derreter e andar à deriva no oceano ártico ocidental.


Sim, tudo isso, e mais um pouco, deve ser mentira. O clima do planeta está perfeito. Ontem tivemos seca, hoje, enchente, e assim as coisas se equilibram. Não vai acontecer nada. "Homem!" grito do alto da minha tolice, "pode continuar a explorar, a devastar, a destruir, enfim, acabem logo com o planeta, é isso que todos vocês querem, a humanidade precisa do desenvolvimento, vamos lá, acabem logo com tudo". Apenas recordem que a morte é lenta e dolorosa. Vem aos pouquinhos, bem "devagarzinho..." E lembrem-se que o doente, logo antes de morrer, geralmente dá sinais de recuperação, falsos sinais. Parece que está bem, que vai se curar, e então morre. Lembrem-se que há 50 anos, falar em mudanças climáticas era um absurdo. Hoje é um absurdo NÃO se falar em mudanças climáticas. Mas hoje é um absurdo dizer que elas já estão ocorrendo e vieram para ficar. Mas daqui a 50 anos, será um absurdo dizer que o planeta NÃO está sendo destruído pelas mudanças climáticas.


6 comentários:

Michelle disse...

3 em 1 !
Muito bem, demonstrate aquilo que a população mundial, nós todos, estamos a criar, uma catástrofe!

Daqui a 20/50 anos o petrólio acaba, o buraco do ozono irá estar cada vez maior, o planeta virá temperaturas extremas! E nós? A pois...

Michelle disse...

viverá*

Enferma disse...

There will be a natural disaster if we don't do anything on this matter. Though we don't want to believe it, global warming is here and is real.

(I hope you understand my poor English).

catacrese disse...

Falaste muito do que eu penso em seu texto.
Nada contra os céticos. Mas negar o que está frente aos próprios olhos não é ceticismo, é repugnante de tão hipócrita.

Ótimo post!

〆 Juliana disse...

Atraves dessa postagem, pra mim vc conseguiu diminuir o mundo e juntar todos os seus problemas de uma maneira geral e expondo a mais clara verdade. A morte lenta e a hipocrisia humana! Muito bom teu post. Primeira vez que visito teu blog, e gostei que falaste do RS, até pq eu moro em um BURACO no extremo oeste dele.

Stella Scrummiest disse...

Incrível, parabéns :)